Cidade

Educação


A Unicentro aderiu pela primeira vez ao sistema, e faz parte de uma das 128 instituições que ofertam mais de 205 mil vagas.


 


 O Ministério da Educação (MEC) abriu, nesta segunda-feira (19), as inscrições para primeira edição de 2015 do Sistema de Seleção Unificada (Sisu). O sistema usa para fazer a seleção para as vagas as notas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2014, disponibilizadas na última terça-feira (13). No total, são 205.514 vagas em 5.631 cursos de 128 instituições públicas de educação superior, entre elas, a Universidade Estadual do Centro-Oeste (Unicentro), que adere ao Sisu pelo primeiro ano.

Não há um horário previsto para o início do funcionamento do sistema, segundo o Ministério da Educação. O prazo vai até as 22h59 desta quinta-feira (22). O resultado da primeira chamada regular será divulgado no dia 26 de janeiro. Para concorrer, o estudante precisa acessar o 
site do Sisu e informar o número de inscrição e a senha usados no Enem. Quem não lembra a senha pode solicitá-la no site do Enem.

Quem não for aprovado no curso em que se inscreveu pode demonstrar interesse na lista de espera do dia 26 ao dia 6 de fevereiro. Esses candidatos aguardam possíveis vagas remanescentes após o período de matrícula. A partir do dia 11 de fevereiro, as instituições de ensino superior começam a convocar candidatos da lista de espera.

Do total de vagas ofertadas por universidades federais, institutos tecnológicos e universidades estaduais nesta primeira edição do Sisu, 82.879 (ou 40%) estão destinadas a estudantes que atendam aos quesitos da Lei de Cotas, ou seja, que tenham cursado todo o ensino médio em escolas públicas.


Notas de corte



Durante o período de inscrição, uma vez por dia, o Sisu calcula a nota de corte (menor nota para ser aprovado) para cada curso com base no número de vagas disponíveis e no total dos candidatos inscritos naquele curso, por modalidade de concorrência. Do dia 19 ao dia 22, o candidato pode mudar suas escolhas a qualquer momento.



 Fonte: Central de Noticias/Unicentro

Geral


Os motoristas pinhãoenses e reservenses querem a resposta. Não aguentam mais os buracos, o pó e o perigo de acidentes em dias de chuva


 



 Buracos e pó em dias secos e muito barro em dias de chuva. É a realidade dos pinhãoenses e reservenses que precisam utilizar o trecho entre os municípios da PR 459. 


O acidente ocorrido dia 2 de janeiro, comprova o perigo. Por volta das 14 horas, próximo à Fazenda Postinho, o condutor do caminhão Ford Cargo relatou que devido à lama na estrada não conseguiu frear e acabou batendo na traseira de um Astra Sedan.


Um dos motoristas, que também já teve prejuízos no seu veículo, mas que prefere não se identificar com medo de retaliações por ser um funcionário público da Prefeitura de Reserva do Iguaçu, reclama da demora da obra. "Estamos com medo de ficar só na conversa. A estrada está muito ruim. A gente reservense tem que passar por ela sempre. Muito pó e carro estragado. Estamos desacorçoados porque aquele início de asfalto já está esfarelando".


Sobre o asfalto que já está danificado, mencionado pelo reservense, o engenheiro da obra, Mauricio Kurnann, da empresa guarapuavana Dalba Engenharia, explica que os 2,5 quilômetros que foram feitos são apenas a base. "Por esse motivo que não têm uma aparência boa". 


REINÍCIO


De acordo com o engenheiro, a obra de pavimentação da PR 459, trecho entre Reserva do Iguaçu e a localidade de Dois Pinheiros, do município de Pinhão, pode reiniciar dia 19 de janeiro, mas não é certeza. 


O ‘desânimo' da empresa deve-se à falta de pagamento por parte do governo do Estado. "Como está tentando restringir gastos ao máximo e cortar investimentos, algumas obras acabam sendo afetadas, atrasando os pagamentos de empreiteiras", observa Mauricio Kurnann.


O reinício da obra deverá começar pela drenagem. "Vamos continuar no mesmo ritmo". 


PREVISÃO


A previsão é que os 26 quilômetros de asfalto fiquem prontos em dezembro de 2015 ou janeiro de 2016, mas se o ritmo não acelerar, talvez não cumpra o prazo determinado. A Ordem de Serviço tem uma previsão de término de 508 dias e teve início em julho de 2014.



FOTO: A base dos 2,5 quilômetros que foram feitos está desmanchando  (Foto: Naor Coelho/Fatos do Iguaçu)



 



 


Politica

Conforme eleição ocorrida em 8 de dezembro de 2014, a Casa de Leis será presidida pelo vereador Osvaldo Lupepsa (PSD), que tomou posse na manhã desta quinta-feira,01, em cerimônia na Câmara Municipal de Pinhão. Para o biênio 2015/2016, terá como vice-presidente Geraldo Marineski (PP), Osvaldo Verbaneck (PSDB) e Carlos Alberto Passos Ferreira (PSD), que ocuparão os cargos de primeiro e segundo secretários respectivamente.

Em seu discurso de despedida. Geraldo Marineski agradeceu a todos pela confiança durante os dois anos à frente da Câmara. "Procurei em minhas atitudes e ações proporcionar o melhor para a maioria da população, sei que não agradei a todos, mas acredito e tenho consciência que fiz o que estava ao meu alcance. Apesar de ainda não ter sido publicado oficialmente, este ano devolvemos para o Poder Executivo a quantia de R$ 450 mil reais e nesta gestão o total chegou à casa dos R$ 900 mil reais".

Agradecendo a todos os presentes, Osvaldo Lupepsa lembrou que na vida pública há altos e baixos, mesmo com toda a experiência da idade e de vida pública é um momento de grande emoção por ter sido eleito para um cargo tão almejado. "Agradeço a Deus pela oportunidade, à minha família, aos vereadores e aos presentes. Conduziremos a Câmara de Vereadores assim como foi a gestão do vereador Geraldo. Em relação ao poder executivo, cobraremos e alertaremos quando for necessário, pois queremos prosperar juntos".

Participaram do evento o prefeito Dirceu José de Oliveira, os secretários de Finanças, Jorge Sens, de Esportes Adaor Caldas e de Educação e Cultura Noriam Coelho Basílio, o ex- secretário de Transportes Francisco dos Santos, o ex- vice-prefeito Paulo Basílio e os vereadores, Alain Cesar Abreu, Alexandro Caldas, Aroldo Domingues, Francisco Carlos Caldas e demais familiares e amigos dos legisladores.


Nossa Gente


Elevação no nível nas competições, resultando em muitas medalhas e revelação de enxadristas. Hoje, Pinhão conta com 110 atletas, divididos nas categorias de base, juventude e adulto



O treinador de Xadrez, André Ferreira
de Almeida, fez um balanço da modalidade em 2014, que, aliás, foi um ano
recheado de medalhas e revelou grandes enxadristas.



Sua volta à Secretaria de Esportes de
Pinhão no início do ano de 2014 coincidiu com a posse de Adaor Caldas na pasta,
com o apoio do novo secretário obteve condições para que o xadrez na cidade iniciasse
uma nova caminhada. “Houve um reforma geral, crescemos muito. Ganhamos novos
materiais que permitem intensificar os treinos. Foram adquiridas mesas e
cadeiras para melhor conforto dos atletas, assim pudemos elevar o nosso nível
nas competições. O ganho também foi no material humano”.  



MEDALHAS



A modalidade representou Pinhão nos
Jogos Abertos da Cantuquiriguaçu (Jarcan’s) nos Jogos da Juventude, nos Jogos
Escolares e em mais seis competições pelo Paraná. “Com o apoio nos eventos que participamos,
foi possível ter sucesso. Trouxemos medalhas de todos. Sempre estávamos entre
os três primeiros lugares, independente da categoria, tanto em individuais como
coletivas”.



DIFICULDADE



O xadrez é um esporte que exige muito
do atleta. O raciocínio é tudo. Um jogo de estratégias que faz com que os
competidores armem jogadas e o adversário “quebre a cabeça” para vencê-lo. Uma
partida de xadrez pode levar horas e dias para ser definida.



ESCOLINHAS



Entre os projetos colocados em prática
pelo professor André, está a Escolinha de Xadrez, onde as crianças em idade
escolar devem preencher dois únicos requisitos: estar estudando e obter boas
notas. “Organizamos os horários para os treinos, e incluímos uma nova faixa de
competidores, agora crianças com seis anos podem começar a frequentar. Hoje
somos em 110 atletas nas categorias de base, juventude e adulto. Tenho alguns
que começaram comigo em 2005 e ainda jogam pelo município, como aconteceu nos
Jarcan’s. O incentivo dos pais também é fundamental para estes resultados”.



Xadrez01 



O treinador André Ferreira de Almeida  e a atleta Eduarda Iwasenko



DESTAQUES



A jovem Eduarda Iwasenko foi um dos grandes
destaques de Pinhão, nas competições que disputou subiu ao pódio, o que foi uma
rotina para ela em 2014, no total foram nove medalhas nos Jogos Escolares e
três nos Jogos da Juventude e nos Jarcan’s.



O dom foi relevado quando a atleta frequentava
as aulas de informática, na Secretaria de Esportes, e a sala de treinamento de
Xadrez ficava ao lado. Ela começou a observar os jogadores. “Estava sempre olhando
os atletas treinando, me interessei e segui
em frente. Comecei a
jogar em 2009 e não parei mais, me apaixonei pelo esporte. Quero melhorar cada
vez mais e ser profissional. Não tive muitas dificuldades nos jogos que competi
no ano que passou, mas em 2015 sei que tenho que treinar mais, pois o nível dos
adversários será mais alto, vou ter que me dedicar muito. O Xadrez me ajudou
muito até nos estudos, pois prende a atenção e a concentração. Meus pais me incentivam
muito, torcem por mim e comemoram cada medalha que conquisto”.
 



 


 

Confira os outros ganhadores da Campanha "Natal do Sonhos" promovida pela Aciap ( Associação Comercial e Empresarial de Pinhão ).


CHARME CONFECÇÕES

1 Angelo Gabriel 1 Vale Compras R$ 100,00



CALÇADOS DA PEDRA

1 Luiz Carlos de Oliveira 1 Vale Compras R$ 300,00



ZWZ

1 Poliane Tussolino Bueno 1 Instalação de Internet mais 3 meses de mensalidade gratis



LOJA CINDERELA

1 Junior Ap. Siqueira 1 Edredom



KANTINHO DAS NOVIDADES

1 Roberta Hassegawa 1 Bolsa

2 Miguel J. O. Santos 1 Camiseta

3 Rosangela F. Rocha 1 Saia



MOVEIS PONTAROLO

1 Iolanda F. da Cruz 1 Batedeira



BETTOS AUTOPEÇAS

1 Celso Shimit 1 Jogo Pito

2 Raimundo Himmelsbch 1 Troca de Óleo e Filtro



RECANTO RURAL

1 Vanda A. Witek 1 Vale Compras R$ 100,00



OTICA E RELOJOARIA KARINA

1 Eduarda M. Caldas 1 Relógio



LOJA BASIC HERING

1 Nilson José Ramos 1 Vale Compras



LOJA ARCO IRIS

1 1 Cobertor Begalir Almeida Alves

2 1 Edredom Evanil T. Kitik

3 1 Colcha Sirlei Ap. Silva

4 1 Jogo de Cama Cecilia P. Cristina Oliveira

5 1 Cortina Maria Sens Lima

6 1 Cobertor de Bebê Almerinda Sampaio

7 1 Cobertor Porcina do Amaral

8 1 Almofada Luciane O. Paula

9 1 Jogo de Toalha Olinda Toledo Caldas

10 1 Tapete Silma Alves Serens



MARCOS CONFECÇÕES

1 Sandressa de Paula Batista 1 Televisão 60 Polegadas



MERCADO XARNOSKI

1 Larissa Martins Edredom Azul

2 Maria Machado Kit Bolsa e Toalha

3 Heliton Ferreira Freitas Edredom Rosa

4 Evelim Lavinio de Ramos Fruteira Tripla

5 Marlene F. Antunes Aparelho de Jantar 20 Peças

6 Claudilua Taiane Lavarski Fogão 4 Bocas

7 Eliane Ap. Barbosa 1 Bicicleta

8 Sebastiana Pereira 1 Bicicleta Mega

9 Carolina Freitas Taques 1 Tanquinho

10 Gabriel Martins 1 Bola Futsal

11 Neiva Caldas 1 Ferro

12 Salete Ap. Correira 1 Cesta Coca-Cola

13 Antonio Adnir dos Santos 1 Sanduicheira

14 José Adair Aires 1 Geladeira

15 Gustavo G. Santos 1 Cafeteira

16 Valmor Vera 1 Kit Pantene

17 Maria Raysa Martins Churrasqueira com Grelha

18 Rosangela Maria de Lima Camisa Sorriso

19 Lurdes Zambruski Camisa Sorriso

20 Luriel Alfredo Capelleti Camisa Sorriso

21 Maria de Lurdes Camisa Sorriso

22 Emanuel R. Gonçalves Vale Compras R$ 300,00



SUPER BARATÃO

1 Terezinha do Rosario Forno Eletrico

2 Maria Medeiros 1 Cesta de Natal

3 Roseli Dupsck Sanduicheira

4 Elia da Silva 1 Faqueiro

5 Angela 1 Faqueiro



 



 


 

No Brasil, mais de 90% dos estudantes terminaram o ensino médio em 2013 sem o aprendizado adequado em matemática, segundo o movimento Todos pela Educação. Tomando por base avaliações do Ministério da Educação, o movimento concluiu que apenas 9,3% desses estudantes aprenderam o conteúdo considerado adequado para o período. O índice é menor que o anterior, registrado em 2011, quando 10,3% aprenderam o considerado adequado pelo movimento.


Além de matemática, o aprendizado em português também apresentou queda, na avaliação feita no terceiro ano do ensino médio, de 2011 para 2013. O percentual de alunos com apredizado adequado passou de 29,2% para 27,2%. "É o terceiro ano consecutivo em que cai o aprendizado em matemática e agora caiu também em português. É um grito de socorro. O ensino médio está piorando no Brasil", avalia a diretora executiva do Todos Pela Educação, Priscila Cruz.



O Brasil não tem, oficialmente, metas claras do que deve ser aprendido em cada nível de ensino. O movimento Todos pela Educação estabelece metas para que em 2022, ano do bicentenário da independência do país, seja garantido a todas as crianças e jovens o direito à educação de qualidade. O movimento estabelece também metas intermediárias de aprendizado.



Priscila ressalta que o aprendizado considerado adequado não corresponde a um nível avançado de domínio da disciplina, mas apenas do básico. "Em matemática, são 90% não aprendendo esse básico. Pode parecer exagero, mas de certa forma não é. Estamos negando um futuro digno para eles, que não conseguem ter acesso ao básico da matemática, não conseguem avaliar um contrato de aluguel ou projetar o que pagam de juros em uma prestação. É o básico para viver a vida".



Os dados mostram que no ensino fundamental o quinto ano foi a única etapa que apresentou melhora. Passou de 40% de alunos com aprendizado adequado em português, em 2011, para 45,1% na última avaliação, e de 36,3% em matemática, para 39,5%. No nono ano, o percentual de alunos com aprendizado adequado em 2013 foi 28,7% em português, acima do verificado em 2011 (27%). Em matemática, o indicador apresentou queda, de 16,9% para 16,4%.



Pelos critérios do movimento, nacionalmente o país não cumpriu nenhuma das metas intermediárias, nem mesmo no quinto ano. No nono ano e no ensino médio, o Brasil não cumpriu nenhuma das metas nem mesmo em nível estadual.



Os números são baseados no resultado da Prova Brasil e do Sistema de Avaliação Básica (Saeb), aplicados em 2013. Na opinião de Priscilla, os dados mostram que nos anos iniciais do ensino fundamental, do primeiro ao quinto ano, o modelo de ensino adotado pelo país mostra resultados e merece mais investimento, mesmo que a meta não tenha sido cumprida. Isso não ocorre com os modelos adotados nos anos finais, do sexto ao nono ano, e no ensino médio. "É como nadar e morrer na praia. De que adianta melhorar o fundamental 1 e chegar ao fundamental 2 e médio e o aluno não aprender?", pergunta.



Uma das diferenças, segundo ela, é que até o quinto ano, o ensino é mais focado e não há tantas disciplinas quanto até o nono ano e o ensino médio. Ela defende uma reforma de métodos de ensino, que inclua as novas tecnologias, a internet, e também uma revisão do currículo, do que é ensinado em sala de aula. "O currículo é inchado, disperso, tem a ganância de fazer com que o aluno aprenda tudo, enquanto, na verdade, ele não aprende nada".



A Prova Brasil é um dos componentes do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), considerado um importante indicador de qualidade do ensino. O índice vai até dez e é calculado de dois em dois anos. O Ideb de 2013 foi divulgado pelo governo no início do mês. A meta estimada de 4,9 para anos iniciais foi a única cumprida pelo país, que obteve índice de 5,2. O Saeb é feito por amostragem nas redes de ensino e tem foco na gestão dos sistemas educacionais



Fonte: Agência Brasil     Foto: Arquivo/Agência Brasil 


 
 


Para encerrar o ano de 2014, Fatos do Iguaçu, conversou com o prefeito Dirceu José de Oliveira. Ele respondeu perguntas sobre obras, fatos negativos que prejudicaram a gestão, finanças, nova composição do secretariado, eleição do legislativo, elevação da entrância da Comarca e fez planos para 2015. Confira:


 


 Fatos do Iguaçu: Quais foram os investimentos na educação?

Dirceu de Oliveira: A educação é um dos pilares da nossa administração. Um investimento muito forte em educação em 2013 e 2014, desde o ensino de base até o superior, obviamente, com boas parcerias com os governos federal e estadual, porque sozinhos não conseguimos fazer tudo. Algumas escolas que recuperamos, como a Cecília Meireles. Outras que estão passando por um processo de ampliação e melhora, como a Professora Ironi, que foi providenciada toda a cobertura da quadra, o Município entrou com 40 mil reais para poder fazer todo o fechamento. A Escola Divineia, que vai iniciar uma obra de mais de 1 milhão de reais. A MaristellaTussi, mais de 1 milhão de reais. Um centro de educação infantil, que está sendo concluído com suporte financeiro também da prefeitura e outro novo entre o Bairro Azaléia e Nossa Senhora Aparecida. O Município teve que comprar terreno, desapropriar área, dar sua contrapartida, se não a obra para. Uniformes de boa qualidade com carteiras e cadeiras novas. O transporte escolar sempre em melhoramento. Hoje temos 80 linhas terceirizadas, aumentamos mais de 20, fora o que é realizado pela frota própria. Falando em ensino superior, em 2013 fizemos um investimento para não perder a Universidade Aberta do Brasil (UAB). E, em 2014, ela foi bem classificada pelo MEC. O transporte dos universitários continua 100% gratuito, 14 a 15 ônibus seguem para Guarapuava diariamente, mesmo custando para o Município 1 milhão de reais por ano. Não podemos esquecer da Banda Municipal, que fechou o ano com um título inédito, campeã brasileira.


FI: Na área da saúde, quais foram os pontos de destaque?

DO: Contratação de 76 agentes, ampliações de unidades de saúde. Hoje temos mais médicos trabalhando. Mas, o nosso grande problema é a falta de médico especialista. Os que chegaram através do "Mais Médicos" são clínicos gerais, que complementamos o salário de cada um com R$ 2.100. A frota aumentou, mais ambulância, mais carro pequeno. A área recebeu um bom investimento, lembrando da farmácia, mais equipada e em um espaço maior, as pessoas ficam bem acomodadas na hora de receber seus medicamentos. Aumentei o valor do repasse para o Hospital Santa Cruz em 2013, em 2014 e já para 2015, um aumento real acima da inflação.



FI: Quais os resultados na habitação?

DO: Nossos pilares: educação, saúde, regularização fundiária, habitação e apoio a entidades. Conclusão em breve das 50 casas do Colina Verde. Vamos iniciar um núcleo novo no Jardim Dona Evanira com 42 casas. Graças ao trabalho da Secretaria de Assistência Social e do Departamento Habitação junto com a Cohapar, governos federal e estadual. No interior mais 30 casas estão sendo construídas.



FI: O que representa para a comunidade o Programa de Regularização Fundiária?

DO: Até metade de 2015 deve ser entregue a documentação de 500 lotes. A empresa responsável cataloga, faz visitas, recolhe toda a documentação até a fase de cartório. Uma coisa inovadora em Pinhão, já que o problema de regularização é grande, urbano e rural. A maioria não tem matrícula, a pessoa quer investir, o município quer investir, e não conseguem.



FI: Quais as ações voltadas para o pequeno produtor?

DO: Apoiamos a bacia leiteira para que o que pequeno possa entregar o seu leite diariamente. O Município ajuda a bancar caminhão, combustível para ajudar pegar o produto nos lugares mais distantes. Em 2015, mais duas comunidades devem começar a entregar. Procurando manter as estradas em melhores condições para escoar o leite e toda a produção do interior. Tem suporte da Secretaria de Agricultura, em parceria com a Emater, visando as hortaliças, legumes, frutas. Além de manter as feiras de bezerros e gado geral que trazem bons resultados.



Dirceu 02 



"É bem provável que haverá mudanças. Podem surgir novos nomes. As mudanças devem ser feitas em janeiro." 



 



FI: Quantos metros de rede de esgoto serão construídos?

DO: Restabelecemos convênio com a Sanepar para a construção de 5 mil metros de rede de esgoto. Não irá resolver todos os problemas, porque a deficiência é histórica, mas se cada prefeito fizer um pouco vai se resolvendo. O Pinhão ficou 10 anos sem um metro de rede de esgoto.



FI: As dívidas herdadas da última administração já foram sanadas?

DO: Entre dívidas empenhadas e não empenhadas chegaram próximo a 5 milhões. Pagamos parte, mas ainda tem em torno de 2,5 milhões. Ao longo de 2013 fomos batalhando junto ao Tribunal de Contas para poder resgatar a certidão negativa provisória, algo que conseguimos em definitivo somente em 2014 para poder angariar recursos. Herdamos também um maquinário sucateado.



FI: E hoje, como está a frota municipal?

DO: Aos poucos fomos retomando a frota. Fizemos leilões dos veículos sucateados que não tinham mais condições de uso devido o excesso de manutenção. Os primeiros dois anos foram marcados pela renovação da frota. Se colocasse todos na frente na Paço Municipal, entre veículos e maquinários, seria próximo de 30. A renovação da frota é um dos marcos da gestão, podendo melhorar a qualidade dos serviços para os cidadãos. Melhoramento de estradas, para aquele que depende de uma ambulância, de um veículo para seguir para uma consulta. Adquirimos um micro-ônibus com ar condicionado para levar os pacientes para Curitiba, de segunda a sexta, fora os veículos pequenos. A aquisição mais recente foi o britador móvel, poderemos britar o cascalho para fazer uma estrada mais compactada.



FI: Foram realizados ajustes nas finanças?

DO: Feito o ajuste necessário para que pouco a pouco possa ir honrando as dívidas antigas deixadas pela antiga administração e as contraídas ao longo do tempo. Um fator que abalou todos os municípios foi a diminuição do Fundo de Participação dos Municípios (FPM), que é a nossa principal receita.

A recuperação paulatina da credibilidade do município junto à população e demais órgãos e esferas de governo, onde as secretarias de Administração, Finanças e Departamento de Planejamento tem trabalhado em consonância com as demais secretarias e entidades que recebem repasses e apoio da prefeitura.



FI: Qual foi o prejuízo com o temporal de junho?

DO: Pinhão viveu e ainda vive um decreto de estado de emergência. Por conta do decreto pleiteamos recurso junto ao governo federal na ordem 2,4 milhões de reais, mas estamos torcendo que até dia 31 de dezembro seja empenhado, para ajudar na recuperação de pontes e bueiros. Caso empenhem, chega em 2015, se não acontecer, não sei como faremos. Pinhão tem mais de 6 mil quilômetros de estradas e só com o maquinário municipal não somos capazes de suprir todas as necessidades, precisamos de parcerias. Recentemente, contamos com o apoio do governo estadual com a Patrulha do Campo, que fez a estrada do Pinhalzinho até Faxinal dos Taquaras e, em 2015, segue para a região do Faxinal dos Coutos, em um trecho definido de mais de 30 quilômetros. Devido os assentamentos, se tivéssemos a parceria do Incra, que a última vez que investiu em Pinhão foi em 2002, tudo seria mais fácil.



FI: Por que foi criado o Plano Municipal de Recuperação do Município (PMR)?

DO: Como o prejuízo com o temporal chegou a 6 milhões, dentro do PMR fizemos alguns cortes de salário do prefeito até demais cargos de confiança para tentar canalizar o máximo de recursos com as nossas forças, porque o governo do estado nos ajudou com um pouco de combustível e o federal não nos ajudou com nada até agora.



FI: Haverá troca de nomes nas secretarias?

DO: É bem provável que haverá mudanças. Podem surgir novos nomes. As mudanças devem ser feitas em janeiro.



FI: A escolha do novo presidente da Câmara de Vereadores foi positiva para a administração?

DO: Osvaldo Lupepsa leva uma bagagem para dentro do legislativo. Pelo fato dele ter sido prefeito acaba ajudando, porque sabe como é do lado de cá. Muito boa a nova composição da mesa. Não tenho problema com nenhum vereador, todos são exigentes, os da própria base nos cobram bastante. Eu só emito uma opinião porque o legislativo tem a sua autonomia.



FI: A elevação da Comarca marca uma nova fase para Pinhão?

DO: A elevação também é uma das comemorações dos 50 anos de Pinhão. Acompanhei o pleito, que era antigo. Estive em Curitiba em visita com o doutor Renato, juiz que passou por aqui. Ele, também, muito preocupado com a instabilidade de juízes e promotores. A elevação deu uma chacoalhada na questão política. Houve um entendimento forte na Assembleia Legislativa. Um trato de respeito entre deputados e o Tribunal de Justiça. É uma vitória, porque sabemos do alto número de processos acumulados. Sabemos que o número de funcionários não vai mudar já, porque depende de concurso. Mas, pouco a pouco vai mudando o material humano, que deve refletir na promotoria, no contingente da polícia militar e possivelmente da civil. Deve demorar, mas o importante que já fomos reconhecidos e as coisas devem ir se adequando. A forma do TJ olhar para a Comarca já é diferente.



FI: Quais os planos para 2015?

DO: Expectativa para as obras que já estão em andamento. Da regularização fundiária, onde pretendemos entregar 500 documentos. Na geração de emprego, temos uma empresa de Santa Catarina, a GG Uniformes, que está praticamente estabelecida em Pinhão. A Prefeitura entrou com todo o suporte de adequação do espaço. Ela já está fabricando e veio porque sentiu uma atmosfera favorável, pelo empenho da Secretaria de Indústria e Comércio. As demais secretarias têm ações que darão segmentos em 2015.



FI: O que os munícipes devem esperar da atual gestão?

DO: Sempre devemos esperar dias melhores, apesar de olhar 2015 com uma relativa cautela, devido o momento de instabilidade financeira e política que o Brasil atravessa, exigindo que os gestores sejam comedidos. Desde que assumi como prefeito, tenho me empenhado para estabelecer diálogo com o governo do estado, com o federal e com as forças políticas que sempre estão prestigiando o município. Independente de sigla, quero convocar os correligionários dos deputados que pegaram voto aqui na nossa cidade, que foram mais de 20 que pegaram boa votação, que peçam para que eles viabilizem emendas. Pode ser qualquer frente política, tanto que o Pinhão seja ajudado. Tudo para incrementar a receita e trazer recursos para investimentos. Precisamos caminhar unidos para que dias melhores de fato possam vir.

Os bons resultados estão acontecendo graças ao empenho dos servidores, bom relacionamento com os governos estadual e federal e as forças políticas que têm se empenhado em prol de Pinhão.

Quero aproveitar a oportunidade para desejar Feliz Natal a todas as famílias pinhãoenses, parabéns ao Pinhão e aos protagonistas, que fizeram e fazem a história de nosso município ao longo de 50 anos, e um próspero 2015!



 


 

O secretário municipal de Esporte, Adaor Caldas (foto), que também responde pela Associação para o Desenvolvimento Social e Econômico e Cultural de Pinhão (Adesp), faz uma avalição do esporte pinhãoense de 2014 e faz projeções para 2015.

Desde março desse ano, ele e seus 15 funcionários efetivos e dois estagiários são responsáveis por todos os programas, projetos e pela estrutura do prédio da Secretaria, Ginasião e Ginazinho.

Dentre eles estão as escolinhas que integram 250 crianças no futsal, voleibol, handebol, judô, basquete e futebol de campo. O futebol é a única modalidade apenas para o público masculino e que foi implantado em 2014. As crianças e adolescentes seguem para os treinos no contra turno escolar.

Na avalição de Adaor Caldas foi um ano bem proveitoso. Os atletas pinhãoenses tiveram destaque e trouxemos títulos inéditos.

FUTSAL

O futsal brilhou em 2014. A equipe masculina sub-15 foi campeã na Copa Verão e vice no Guarapuavano. E a sub-9 campeã em dois campeonatos na cidade vizinha de Guarapuava, no Guarapuavano e no Abertão. "Levantaram taças no meio do ano e agora em dezembro. Os nossos meninos são feras".

O futsal masculino sub-17 conseguiu um título inédito. Trouxeram o ouro de Foz do Iguaçu, dos Jogos Escolares. Foram os melhores na fase regional dos Jogos da Juventude, em São Mateus, além da classificação em Candói. "A equipe também em Apucarana se classificou para os Jogos da Juventude, disputando com o Paraná. Foram vices em Castro na macrorregional e no Abertão de Guarapuava", enumera.

BASQUETE

O basquete feminino sub-17 conquistou o tricampeonato nos Jogos da Juventude, em São Mateus, no mês de junho. E a equipe sub-13 pela quarta vez ficou com a taça de campeã.

O destaque na modalidade foi a cestinha Dahfny Peredo, que agora integra a Seleção Paranaense de basquete sub-13.

Outro destaque foi o atleta João Mateus, que foi aprovado nos testes do peneirão na cidade de Bauru, em São Paulo e no Palmeiras. "Parece que vai ficar no Palmeiras. Eles são nossos orgulhos

VOLEIBOL

O voleibol feminino foi campeão nos Jarcan's. O masculino adulto ficou com o ouro no vôlei de praia e vice no de quadra.

Desde o início do ano a atleta Duda integra a Seleção Brasileira de Vôlei Sentado. Agora vai morar em São Paulo através de contrato com o Sesi. A pinhãoense é campeã brasileira e agora segue para a próxima paraolimpíada. "Ela tem uma bagagem grande. A atleta já representou o Brasil em vários países. Ganha bolsa, tem um trabalho e vai morar em São Paulo", frisa.

HANDEBOL

No handebol, a equipe feminina foi a melhor nos Jarcan's. Foi a sétima vêz que garantiu o lugar mais alto no pódio. As meninas também foram campeãs na Copa Rio Bonito, em novembro.

2015

De acordo com Adaor, o ano que se inicia é de continuidade aos trabalhos, a exemplo das escolinhas. O objetivo para 2015 é a reativação de alguns campos de futebol nos bairros, como na Associação Dois Irmãos, no Nossa Senhora da Glória, no São João, na Escola Água Verde no Lindouro. "Serão reativados. Vamos levar trave, aplainar, organizar para reabrir. A comunidade poderá ter um espaço de lazer".

Outra novidade será a abertura de uma escolinha de judô no Faxinal do Céu. "Está tudo pronto, com a volta das atividades escolares terão o judô e o futsal. Estamos levando o esporte nos bairros e no interior do município. Quero agradecer ao prefeito pela confiança depositada. Agradecer ao empenho dos meus colaboradores. Vamos nos dedicar para que em 2015 tenhamos muitas notícias boas e positivas para publicar".

 
 


22 universitários terão 18 meses para cumprir a carga curricular exigida pela Unicentro


 


Foi realizada na segunda-feira (24), a aula inaugural do curso de Licenciatura em Pedagogia - segunda Oferta Especial, destinada aos acadêmicos que cursaram a Faculdade Vizinhança Vale do Iguaçu (Vizivali) no Programa Especial de Capacitação para a Docência. Esses alunos não tinham sido selecionados na etapa anterior para fazer a complementação para a validação do diploma. A turma terá como tutor, o professor Zaquel Ribeiro.

Os 22 universitários terão 18 meses para cumprir a carga curricular exigida pela Universidade do Centro Oeste do Paraná (Unicentro), que foi a instituição de ensino superior que os acolheu para que pudessem alcançar o tão sonhado diploma. A turma é composta por acadêmicos que já têm um curso superior ou que não conseguiram comprovar anteriormente o vínculo trabalhista de atuação junto às séries iniciais do ensino fundamental.



Uab1

"Este curso é a complementação do antigo Curso Normal Superior (CNS) para as séries iniciais do ensino fundamental e ensino médio. Na oferta normal do curso os acadêmicos poderiam se graduar somente para exercer a licenciatura em nível de ensino fundamental, séries iniciais, com a reformulação houve a abrangência para o ensino médio", explicou a coordenadora da UAB Polo Pinhão, Sandra Mendes (foto).

Para frequentar o curso os interessados passaram por um longo processo de seleção. Apresentação de documentos pessoais, declaração de que no período em que estava frequentando o curso da Vizivali também estavam trabalhando na área e as matérias e carga horária já concluídas, conforme instruções contidas no Boletim Informativo nº 03/2014 da Unicentro.

OPORTUNIDADE

Para a acadêmica Sonia Maria de Campos Santos, que atualmente leciona na Escola Municipal Santa Terezinha, é uma oportunidade para que a graduação seja concluída. "Já faz cinco anos. Na época, como não foi reconhecido pelo MEC, foi uma decepção muito grande saber que não poderíamos concluí-los. Quando houve este reconhecimento não pude terminar por não preencher alguns requisitos. Agora que temos um vínculo e estamos trabalhando em sala de aula é o momento de fazer essa complementação. É um sonho de criança ser pedagoga".

ENTENDA O CASO

O Conselho Nacional de Educação (CNE) publicou a resolução nº 1, de 18 de fevereiro de 2002, onde instituía as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Formação de Professores de Educação Básica, em nível superior, curso de licenciatura, de graduação. Na prática, exigia que para atender os diversos itens deste plano era necessário que os professores, para atuarem em sala de aula no ensino fundamental séries iniciais tivessem o curso de Pedagogia ou Magistério Superior.

A Vizivali, em parceira com a empresa Inteligência Educacional e Sistema de Ensino, de Curitiba, ofertou aos interessados o Programa Especial para Capacitação dos Docentes dos Anos Iniciais do Ensino Fundamental e de Educação Infantil, com a modalidade de ensino à distância, em 2003. Contudo, o reconhecimento da instituição pelo Ministério da Educação e Cultura (MEC) não ocorreu. Após anos de manifestações e discussões, governo estadual, alunos e demais envolvidos chegaram a uma saída. Dos 35 mil professores que frequentaram o curso, 27 mil fizeram uma complementação de 1.300 horas nas universidades estaduais através da Universidade Aberta do Brasil, UAB e foram licenciados em Pedagogia. Essa nova turma é para abranger os professores que por algum motivo ficaram de fora da primeira oferta de regularização do curso ofertado pela Vizivali.

 

 

Com a chegada do verão e as altas temperaturas, surgem dúvidas entre os motoristas sobre qual tipo de vestuário é permitido usar para dirigir sem correr o risco de cometer infrações previstas no Código de Trânsito Brasileiro. Por isso, o Departamento de Trânsito do Paraná (Detran) esclarece o que é proibido e o que está liberado nos dias mais quentes, de acordo com a legislação.


Dirigir sem camisa não constitui infração de trânsito, mas o condutor não deve se esquecer do uso do cinto de segurança, que permanece obrigatório.



Outra dúvida comum refere-se ao uso de bermuda, que pode ser utilizada por condutores de carros e motocicletas. De acordo com o Código Brasileiro de Trânsito, o que é indispensável para motociclistas, em qualquer situação, é o uso de capacete, previsto no art. 244, inciso II.



"O Conselho Nacional de Trânsito (Contran) também trata do vestuário adequado para motocicleta no mesmo inciso, porém, ainda não há regulamentação específica sobre o que é proibido ou permitido", explica o coordenador de educação para o trânsito, Juan Ramon Sotto Franco.



CALÇADOS - Usar chinelos e sandálias na hora de dirigir é errado. De acordo com a legislação, é infração de trânsito o uso de calçados que não se firmem no pé ou que comprometam a utilização dos pedais. Ou seja, estão proibidas sandálias do tipo plataforma, ou de salto, e outras que não sejam fixadas nos calcanhares e tornozelos. Portanto, o recomendado nesses casos é conduzir com os pés descalços para ter mais segurança na hora de utilizar os pedais.


 
 

 
 

Boletim Informativo

Para receber notícias e novidades digite seu e-mail.

 
 

Nome:

 
 

Email:

 

PUBLICIDADE

 
 


PUBLICIDADE



 
 

 

 
 
   
  Inicial
  Edições
  TV Fatos
  Política
  Fatos em Fotos
  Assine o Jornal
  Esporte
  Cidade
  Coluna Social
  Segurança
  Educação
  Agronegócio
  Geral
  Artigos
  Fatos Políticos
  Nossa Gente
  Nosso Interior
  Almanaque
  Enquête
  Histórico dos municípios:
  Pinhão
  Reserva do Iguaçu
  Assine o Jornal
  Anuncie
  Quem Somos
  Siga Fatos no Twitter
  Entre em Contato
 
 Google+
   
   
    © Copyright 2010 Jornal Fatos. Política de Privacidade
   
    Criação de Sites Guarapuava